Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Aborto, tragédia e os traidores do povo

Por: Rogerio Tosta
30/11/2016
Compartilhar:
Jornalista Rogerio Tosta

Hoje, quando acordei (30/11) não sabia o que escrever, pois ontem havia pensado em escrever algo sobre a tragédia do time Chapecoense e mudei de ideia ao ver a notícia que a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou o aborto até os três meses. Mas, ao assistir o jornal, tomo ciência que na calada da madrugada, os deputados federais, contrariando a vontade popular, desfiguram as medidas contra a corrupção.

Penso então, sobre o que escrever? Não há o que dizer, apenas chorar.

Chorar pela morte de jogadores que faziam a alegria de uma cidade, de um estado e de todo o país. Sem dúvida, eles tinham a certeza que, com seus sonhos de serem campeões estava o sonho de milhares de torcedores que também desejavam e torciam para que o título fosse para Santa Catarina, para o país. Uma tragédia que fica para história e também o sentimento de solidariedade, fraternidade e respeito de times e torcedores do mundo todo. Gestos que deveriam surgir não somente no momento de uma tragédia, mas a todo o momento na sociedade. 

Chorar. Enquanto os brasileiros e o mundo ainda sofrem com a tragédia que matou jogadores e jornalistas, a primeira turma do STF promove outra tragédia, aprovando ou abrindo a possibilidade do aborto até os três meses de gestação. Este é mais um absurdo. Aprovam e tentam justificar o assassinato de crianças, ainda chamadas de feto, mais com toda genética humana, no útero de uma mulher. 

Ser dona do próprio corpo, ter a liberdade de fazer o que quiser com seu corpo, é um direito de qualquer ser humano. Porém, o feto, assim chamado por muitos, que está no útero de uma mulher não é parte do seu corpo, tem vida própria, sofre, senti dor, sorri, se agita, etc, etc. Ele apenas depende da mulher para se nutrir, se alimentar, da mesma maneira que necessita após seu nascimento. Portanto, conforme já comprovado pela ciência, apesar de muitos negarem, o assim chamado feto, é, desde a concepção um novo ser, um ser humano com uma genética totalmente própria. O aborto um crime contra a vida em seu sentido mais amplo. 

Chorar. Outra tragédia foi a postura dos deputados federais que, na madrugada de terça para quarta-feira, numa articulação criminosa, desfiguram as medidas contra corrupção, permitindo que investigadores sejam denunciados por criminosos, ou, melhor para não ser processado, supostos corruptos. Os deputados federais que votaram alterando as medidas contra corrupção são traidores da vontade popular, traidores do Brasil, pois estão legislando em causa própria e neste sentido, lembro a todos os deputados federais que se dizem cristãos, as palavras do profeta Isaias: “Ai daqueles que fazem leis injustas”. (Is 10, 1)


Veja mais no blog: www.rogeriotosta.com.


Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Jornal Tribuna de Petrópolis.