Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Vamos até Monte Serrat?

Por: Moisés Inocêncio (Barão)
10/03/2017
Compartilhar:

Quantos de vocês conhecem pelo menos algum ponto do Rio de Janeiro que faz fronteira com o estado de Minas Gerais? Bem... espero que ao menos alguns tenham levantado as mãos como eu.

Portanto, nossa motocada da vez será em uma destas divisas, talvez a mais conhecidas delas, justamente por ser facilmente identificada por quem passa na BR-040, a Rio x Juiz de Fora.

Esta localidade é pertencente ao município de Levy Gasparian, região Centro Sul Fluminense, onde possui grande carga histórica, que infelizmente poucos cariocas conhecem.

Então, quero fazer um convite a vocês:

Vamos até Monte Serrat?

Monte Serrat marca nossa história por ter sido palco de abertura de dois grandes caminhos: o Caminho Novo, pertencente a Estrada Real, e também a estrada União Indústria, que ligava a cidade de Petrópolis até a cidade de Juiz de Fora.

- Caminho Novo:

Este, aberto pelo tropeiro Garcia Rodrigues Paes (filho de Fernão Dias, na qual emprestou seu nome à uma importante rodovia em São Paulo) ainda no século XVII, justamente para facilitar o escoamento de toda carga preciosa vindo das terras mineiras. É justamente neste ponto, já no século seguinte, nas margens do rio Paraibuna que foi erguido um antigo prédio que servia de "barreira fiscal". Esta construção de nome Casa do Registro tinha a função de recolher a quinta parte de todo o ouro e diamantes transportados pelos tropeiros.

- Estrada União Indústria:

Já esta, que também teve semelhante importância em nossa história, foi aberta para ligar a cidade de Petrópolis-RJ à cidade de Juiz de Fora-MG. Foi a primeira estrada pavimentada do Brasil, toda assentada em pedras. A responsabilidade por esta empreitada foi dada ao Comendador Mariano Procópio, que recebeu do imperador uma concessão de 50 anos pela exploração da mesma, incluindo a cobrança de pedágio por toda carga ali transportada. Falando do imperador, o próprio Dom Pedro II foi quem inaugurou a Estrada União Indústria, isso em 1861, com a presença de ilustres representantes, tanto da corte quanto da Companhia União Indústria. Eles percorreram todo o trajeto desta nova estrada com diligências, espécie de carruagens fabricadas exclusivamente para este evento.

Vocês perceberam que mesmo em épocas diferentes, estes dois caminhos tinham algo em comum? Isso mesmo, a cobrança de pedágio.

Agora que já falamos um pouquinho destes dois caminhos, vamos "explorar" um pouco sobre o local que testemunhou estes dois acontecimentos:


- Monte Serrat:

Este distrito de Comendador Gasparian, está margeado pelo Rio Paraibuna, palavra esta de origem indígena que significa "águas escuras", e é justamente o mesmo que faz a separação entre o estado carioca e o estado mineiro. Não podemos esquecer da grande formação rochosa onde possui o mesmo nome do rio. Realmente uma paisagem incrível!

A quantidade de terras necessárias para a construção da Estrada União Indústria, incluindo a área onde foi erguida a Estação de Mudas (destinada para trocas e cuidados com os cavalos), foram doadas pelo Barão de Paraibuna, dono de praticamente toda aquela região em meados do século XIX. E falando da Estação de Mudas, vamos a um dos pontos principais desta viagem:

- Museu Rodoviário:

Monte Serrat é interessante num todo, mas realmente a "preciosidade da casa" é o Museu Rodoviário, que funciona no prédio da antiga Estação de Mudas, de belíssima arquitetura. Este museu faz homenagem às rodovias brasileira, dando ênfase é claro, a Estrada União Indústria. Ali se encontra peças magníficas e valiosas, que contribuíram de alguma forma na edificação desta estrada. Estão ali desde carruagens de tração animal, passando por máquinas a vapor usadas na pavimentação das estradas, indo até um belo exemplar de Harley Davidson ano 1947, usada pela Polícia Rodoviária Federal em tempos não tão antigos. Para nós motociclistas, uma peça capaz de arrancar alguns sorrisos involuntários de nossos rostos!

Outra importante e valiosíssima peça exposta no Museu Rodoviário, é a diligência usada por Dom Pedro II, na inauguração da Estrada união Indústria. Lembra que comentei sobre ela mais acima? Pois é... ela mesma, toda original e muito bem conservada!

Monte Serrat, para muitos de seus moradores, é a essência do município de Comendador Levy Gasparian, onde até os dias de hoje os mesmos se reúnem ao redor da igreja, batem um bom papo e se sentem acolhidos pela pedra de Paraibuna e o rio de mesmo nome.

Ah! Antes de pegar a estrada de volta, vale muito apena visitar a Fazenda Santa Helena, logo após atravessar a ponte de divisa de estados. Bom para descansar e claro, para aproveitar as deliciosas comidas feitas no fogão a lenha. Rústico luxo!

- Como Chegar:

Saindo de Petrópolis pelo Bingen, pegar a BR-040 em sentido à Juiz de Fora, por 95km. A entrada para Monte Serrat está muito bem sinalizada, inclusive na placa está identificando a Fazenda Santa Helena. Não tem errada.

Depois que você sair da BR-040, você irá percorrer mais seis quilômetros até o centro de Monte Serrat, onde se encontra a igreja matriz, o Museu Rodoviário, e mais à frente, a Fazenda Santa Helena.

Obs: Recentemente, o Museu Rodoviário entrou em reforma. Portanto, antes de fazer esta visita, vale se informar. Mas, mesmo que o museu não esteja funcionando, passe algumas horas, ou quem sabe alguns dias, na Fazenda Santa Helena.

Estou disposto em meus contatos pelo Blog, e me coloco a disposição no que estiver ao meu alcance, para algumas informações e dicas.

Um grande abraço a todos, e fiquem na paz.

Veja mais InteRior

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Jornal Tribuna de Petrópolis.