Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

BR-040 – O Impasse - parte final

Por: Fernando Varella - Economista e vice-presidente da NovAmosanta
13/04/2017
Compartilhar:

Nas partes iniciais deste artigo, comentamos a importância da BR-040, uma rodovia estratégica para o país e para Petrópolis, pelo seu impacto na vida econômica e social do nosso município. Também, destacamos que as obras da nova subida da Serra ficaram por último no cronograma de investimentos da Concer. Registramos, do mesmo modo, os imensos prejuízos para todos os segmentos da economia de Petrópolis decorrentes da interrupção das obras da nova subida da Serra, bem como do mal estado de conservação das duas pistas da Serra.

A administração municipal de Petrópolis não foi chamada para participar dos estudos e projetos da nova subida da Serra, nem pela ANTT, nem pela Concer, Na ocasião, a Prefeitura, a representação política do município, bem como as entidades da sociedade civil deveriam ter protestado junto às autoridades federais, especialmente o Ministério dos Transportes, antevendo os possíveis problemas gerados pelos gargalos de trânsito, no sistema viário do município, especialmente na região da Duarte Silveira e do Bingen, em função do trajeto da nova subida e o grande aumento do fluxo de veículos naqueles bairros. A Prefeitura deveria ter participado desse plano, sugerindo opções, bem como exigindo recursos para adequar o sistema viário do município, naquela região, em função das mudanças na principal entrada e saída de Petrópolis, determinadas pela nova subida da Serra. O atraso nas obras da nova subida, por outro lado, oferece uma oportunidade para a equipe liderada pelo prefeito Bernardo Rossi, de desenvolver esforços na busca de recursos com a finalidade de implementar os necessários ajustes no sistema viário do município, evitando os esperados gargalos de trânsito naquela região.

Temos de registrar, ainda, que Petrópolis cresceu muito nos últimos anos, e como consequência a frota de veículos que circula no município triplicou, alcançando o patamar de 163.000 unidades. Contudo, as mais importantes intervenções viárias no município, aconteceram há muito tempo. A duplicação da av. Rio Branco e da rua Bingen, concluídas na década de 80, foram as últimas intervenções de impacto no sistema viário dessas regiões. 

Na região dos Distritos, obras importantes no sistema viário aconteceram, também, há muito tempo. A primeira, a modernização da estrada União e Indústria, do Retiro até Itaipava, obra federal conduzida pelo antigo DNER, foi concluída há 25 anos e a duplicação de um trecho de 1.300m, na área central de Itaipava, aconteceu no final da década de 90. Assim, pela falta de ampliação do sistema viário do município, a duplicação da BR-040, no trecho entre o Bingen até Areal, a chamada estrada do Contorno de Petrópolis, após a sua conclusão, também, pelo DNER, passou a ser utilizada como uma ligação alternativa, da sede do município com a região dos Distritos.

Moradores e visitantes reclamam muito, dos seguidos congestionamentos de trânsito nas nossas principais vias urbanas, principalmente nas áreas centrais de Petrópolis e de Itaipava. Essa situação deriva do grande crescimento do número de veículos circulando no município, não só daqueles emplacados no município, mas também de alguns outros milhares, de outros municípios, que circulam em Petrópolis, incluindo turistas, frequentadores dos nossos polos de malhas e dos cariocas que têm residências de lazer na Serra.

Não é por outra razão que o sistema viário é uma das mais importantes preocupações da NovAmosanta, ong com sede em Itaipava, de representação da sociedade civil da região dos Distritos. A instituição tem sido convidada a participar de seguidas reuniões com a ANTT, Concer, MPF, Prefeitura, Secretário de Estado dos Transportes, DNIT, etc, para tratar de assuntos ligados ao sistema viário do município, em função da atuação da NovAmosanta que tem apresentando uma série de propostas com foco em melhorias no sistema viário e nos transportes coletivos de Petrópolis.

Uma das atenções maiores da ong é a área central de Itaipava, através da melhoria das ligações entre a estrada União e Indústria e a BR-040. A primeira delas seria a do principal acesso à Itaipava, via duplicação da ligação entre a rodovia e o trevo de acesso de Bonsucesso. A segunda seria a ligação existente ao lado do Bramil que demanda a construção de uma nova ponte. Do mesmo modo, a saída da BR-040 para acesso à Itaipava, via o local conhecido como Arranha Céu, teria de receber uma nova ponte, compatível com o fluxo de tráfego no local. A última proposta da NovAmosanta seria uma nova ligação, em mão dupla, entre a rodovia e o Parque de Exposições, na área central de Itaipava, ajudando a descongestionar a União e Indústria, ao eliminar os gargalos de tráfego atualmente existente naquele trecho.