Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Eleições terminam com campanha branda e tranquilidade no dia de votação

Por: Arthur Vieira
01/11/2016
Compartilhar:
Jornalista Arthur Vieira/ Foto Marco Oddone

O pequeno número de presos por boca-de-urna na cidade de Petrópolis (foram apenas cinco) que tem 300 mil habitantes, e dois candidatos sedentos pela vitória nas urnas, chamaram atenção da população. Assim como a ausência de sujeira nas calçadas perto dos locais de votação.

A boa notícia contrariou toda a imprensa, que já apostava na notícia clichê de ruas cheias de santinhos depois de encerrada a votação.

Afinal, a famosa “derrama” de material de campanha, é característica do período eleitoral em muitas cidades do país. Mas, desta vez, em Petrópolis não aconteceu.

Será que a população evoluiu nessa questão, ou acabou sendo pressionada pela fiscalização?

Durante todo o domingo de eleição foi percebida a presença de um reforço policial, não só nas seções eleitorais como também no patrulhamento das ruas da cidade. Em cada seção havia pelo menos um policial, e em cada local de votação (pelo menos em grande parte deles) um guarda civil.

Há quem diga que a presença das forças de segurança, de forma ostensiva, foi o principal fator responsável por manter a tranquilidade durante todo o dia de pleito.

No entanto, não se pode desconsiderar que a mudança das regras com relação à campanha eleitoral também foi um fator essencial para que tudo acabasse bem. Neste ano, a campanha foi muito mais calma, e a fiscalização do Tribunal Superior Eleitoral e seus respectivos TRE's foi muito mais rigorosa.

A notícia acabou repercutindo nas redes sociais, mas a maioria dos internautas prefere não apostar na educação dos cabos eleitorais, e sim na pressão do TSE e na presença ostensiva da PM como principais responsáveis pela surpresa de ter as ruas limpas no fim do dia e um pequeno número de presos.

De qualquer forma, fica o nosso “parabéns” a Petrópolis!

Veja mais no blog: visaoreporter.blogspot.com.

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Jornal Tribuna de Petrópolis.