Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Matheus Nachtergaele se apresenta em Petrópolis

07/09/2017
Compartilhar:
Reprodução Internet

Neste sábado (9), o consagrado ator Matheus Nachtergaele sobe a serra, para uma apresentação inédita do espetáculo “Processo de Conscerto do Desejo”, no qual os versos de Maria Cecília Nachtergaele são entremeados por canções que ela gostava de ouvir. A performance acontece no Theatro Dom Pedro, a partir das 20h.   

Matheus Narchtergaele subiu ao palco do Teatro Poeirinha ao lado dos músicos Luã Belik (violão) e Henrique Rohrmann (violino) para as primeiras apresentações de Processo de Conscerto do Desejo, em novembro de 2015. Com capacidade para 60 pessoas, a experiência foi a de habitar um “pequeno útero” enquanto revelava aos espectadores quem foi Maria Cecília. 

Não se trata de uma personagem ou mesmo de uma peça teatral. “É um recital à moda grega, é um lamento, mas é iluminado”, explica o ator, diretor e filho da poeta, que se matou aos 22 anos. À época, Matheus tinha apenas três meses de vida. 

O espetáculo esteve em cartaz no Teatro Raul Cortez, de 1º a 30 de abril, numa temporada definida pelo artista como “mais piafiana”, considerando o palco italiano e a acústica imponente do espaço. “O tom mais íntimo dá lugar ao trágico, à catarse. Está ali o ator, o filho. Ele recita poesias da mãe suicida neste concerto. Isso é muito forte e muito sincero. Eu tinha receio que essa história só dissesse respeito a mim, entretanto as pessoas acabam se conectando com o sentido do viver”, conta.

Matheus lembra que demorou muitos anos para decidir o que fazer com o caderno de poesias da mãe que recebeu de presente do pai aos 16 anos. “Era uma espécie de vespeiro emocional e esperei até sentir que não era mais tão perigoso, que as picadas haviam se cicatrizado”, diz. Os textos de Maria Cecília ganharam o palco antes mesmo da publicação em livro (em 2016, A Mariposa, de Maria Cecília Nachtergaele, foi lançada pela Polvilho Edições na FLIP). “O teatro é lugar da cerimônia, é o meu lugar. Fiz o meu festejo fúnebre e a minha celebração como num ritual japonês colorido”, diz. 

Cada sessão é uma experiência diferente neste trabalho em progresso com caminhos que plateias e amigos ajudam a definir. “Na temporada do Poeirinha recebi aconselhamentos artísticos do Guel Arraes, do Cláudio Assis e do Jura Capela (todos cineastas) em relação a alguns detalhes como timbre da voz, o tom mais doce, o mais forte e até mesmo à dose de loucura”, revela. 

Moldando o afeto, a dor, a beleza e tantos sentimentos, “Processo de Conscerto do Desejo” faz com que a presença de Maria Cecília seja transformadora e tocante. “Não sou nada místico, mas é um pequeno milagre porque ela vive todas as noites, ao meu modo. É uma experiência que transformou o meu pesar e me mostrou a beleza de ser quem sou, apesar de não ter conhecido essa grande mãe. Faço esse espetáculo com uma imensa alegria”, conta.

“Processo de Conscerto do Desejo” cumpriu mais de 74 bem-sucedidas apresentações e com a peça Matheus Nachtergaele foi indicado como Melhor Ator nos prêmios Cesgranrio e Shell em 2016. 

Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Theatro D. Pedro e custam R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) Mais informações pelo telefone (24) 2235-3833.