Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Menino com síndrome rara se torna exemplo na escolinha de basquete do Flamengo

27/08/2017
Compartilhar:

Gabriel de Menezes tem pouco mais de um metro, algumas limitações físicas, mas nada que o impeça de fazer parte do núcleo Petrópolis da escolinha de basquete do Flamengo, no Centro Cultural e Esportivo Fábrica do Saber, na Estrada da Saudade. Ele sofre de uma síndrome rara, chamada de Trombocitopenia Aplasia Radial (TAR). A doença causa anomalias hematológicas e deformidades esqueléticas de causas congênitas. Mas nada que impeça o sorriso no rosto e os sonhos de um jovem de 18 anos. Fã do basquete americano e do Los Angeles Lakers, ele encontrou na escolinha a oportunidade de praticar o esporte que sempre gostou e de estar com os amigos. 

“Eu sempre gostei muito de basquete, mas quando eu era mais novo era perigoso, por conta da diferença física. No ensino médio, comecei a jogar com meus amigos do colégio. Eles vieram conhecer a escolinha do Flamengo e resolvi tentar também. Todos me receberam muito bem. Tento colocar em prática as dicas do treinador e tento me adaptar caso não consiga realizar alguma atividade”, afirma Gabriel, que não reclama da vida e que está se preparando para o Enem e quer cursar biologia. 

“É minha área preferida, mas se não der certo, posso tentar ciência da computação. São bem diferentes, só que sempre mandei bem mexendo no computador. Não posso perder tempo pensando nos problemas. Sempre levei minha vida normalmente e meus amigos e família sempre me motivaram em tudo”, explica.

O treinador da escolinha do Flamengo, José Augusto Leal, é um verdadeiro amigo: conversa, orienta, motiva e também aplaude. Os dois convivem há pouco mais de três meses, tempo suficiente para o professor reconhecer as qualidades do aluno. “Gabriel não reclama de nada. É incrível. Um verdadeiro exemplo de superação, que serve de exemplo para os outros meninos e para a gente também”, afirma. 

Exemplo para o professor e para os colegas da escolinha. Lucas Araújo, também de 18 anos, descreve como é jogar ao lado de Gabriel. “É o máximo. Ele é um exemplo. Motiva a gente a sempre se superar”, comenta. 

Inaugurado em abril pelo prefeito Bernardo Rossi, o núcleo do Flamengo atende 92 crianças e adolescentes entre oito e 18 anos e as inscrições ainda estão abertas. Para o superintendente de Esportes e Lazer, Hingo Hammes, a história do Gabriel serve de exemplo para os outros jovens e mostra a importância da atividade física na vida das pessoas. 

“A prática esportiva além de benefícios à saúde pode promover o desenvolvimento intelectual e social, sendo uma alternativa importante de inserção social. O Gabriel supera as próprias limitações e mostra com o esporte pode ser saudável na vida de uma pessoa”, explica Hingo. 

Com carga horária de 12 horas semanais, as aulas são realizadas às quartas e sextas-feiras, distribuídas em sete turmas divididas nas categorias de acordo com a idade. Os interessados podem procurar a sede da Superintendência de Esportes e Lazer ou se dirigirem diretamente a Fábrica do Saber, na Estrada Machado Fagundes, 269, na Estrada da Saudade, de 9 às 17h, para fazer a inscrição, que é gratuita e aberta ao público. A escolinha ainda dispõe de 50 vagas.