Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Museu de Minas Gerais também disputa cartas escritas por Dom Pedro II

14/07/2017
Compartilhar:
Foto: Divulgação

O Museu Imperial de Petrópolis não foi a única instituição a demonstrar interesse em incorporar ao seu patrimônio cartas escritas pelo Imperador Dom Pedro II ao czar Nicolau II (1868-1918), último imperador, destronado durante a revolução russa, um ano antes de morrer. Também o Museu Mariano Procópio, de Minas Gerais, comunicou ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) o interesse em ficar com os documentos, que foram presenteados pelo presidente russo Vladmir Putin, durante visita do presidente Michel Temer ao país. 

Como argumento, o Museu Mariano Procópio informou que fazem parte de seu acervo documentos, fotografias, gravuras, móveis e outras peças relacionadas ao império brasileiro. No acervo, estão cartas trocadas entre Dom Pedro II e seu pai, o imperador Dom Pedro I, e correspondências trocadas entre Dom Pedro I e a amante, Domitila, a Marquesa de Santos. Esses registros são fontes para estudos que auxiliam na compreensão da história do Brasil, podendo ser acessados para a realização de trabalhos acadêmicos. No pedido ao Ibram, o museu mineiro afirma que “a guarda de outros documentos desse período, dada sua relevância histórica e cultural, agregaria um valor ainda maior para o acervo do Museu”.

Apesar da disputa, técnicos acreditam que os documentos devem ser entregues aos cuidados do Museu Imperial de Petrópolis, onde está a grande maioria dos documentos, móveis e outros objetos que dizem respeito à Família Imperial Brasileira, vantagem valorizada pelo fato de o museu estar instalado na residência de Pedro II.