Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Na cabine de um caminhão também se fala sobre motociclismo

Por: Moisés Inocêncio (Barão)
05/05/2017
Compartilhar:
Foto divulgação

Sabe aquele dia bonito, sem nenhuma nuvem no céu, onde os sabiás nos acordam às seis da manhã? Então... logo bate aquela vontade de tirar a moto da garagem e #PartiuViajar! Porém, isto não é tão simples assim. Alguns cuidados são imprescindíveis para que tenhamos uma viagem bonita, segura e sem estresse.

Marco Antônio Jacob (um amigo de longa data) é motorista carreteiro e também motociclista, onde há mais de 35 anos soube conciliar seu sustento com sua diversão: O primeiro como motorista profissional, transportando diversos tipos de cargas; Já o segundo, pilotando sua moto por este Brasil afora. Uma experiência e tanto!

Com ar de saudosismo e um sorriso no rosto, Marco Antônio Jacob nos conta que já possuiu mais de 19 motocicletas: "Minha primeira moto foi uma Honda ML 125cc", recorda Jacob. Mas ele não se limita somente a informações que lhe trazem saudades. Neste bate-papo ele compartilha um pouquinho de sua experiência nos dando dicas fundamentais para que possamos fazer uma boa viagem, sem dor de cabeça.

- "Primeiramente, o que devemos analisar é a preparação física e emocional do sujeito. Certa vez, já no retorno de uma viagem que fiz até a Bahia, tive uma noite mal dormida e, pra completar, o dia foi extremamente quente e tive uma péssima alimentação. E isso me provocou um tremendo mal estar, e até mesmo tive diminuição de reflexos e também sonolência. Um baita susto!", lembra Jacob em tom de alerta, afirmando que logo após este episódio, ele parou sua moto para descansar um pouco mais, e tomou isto como lição.

E a 'prosa' continua:

- "Quer uma dica de um carreteiro? Evite o máximo trafegar no limite de sua moto, principalmente as de baixa capacidade cúbica, pois se precisar ultrapassar uma carreta longa, você terá dificuldades. Em determinados pontos de rodovias, alguns carreteiros, infelizmente aceleram mais do que deveriam, podendo colocar em risco alguns motociclistas que os ousam ultrapassar", diz Marco Antônio Jacob.

É isso aí galera, realmente foi uma boa observação, pois até mesmo o desprendimento e projeção de resíduos provenientes de recapagens de pneus, podem nos atingir durante a ultrapassagem de uma carreta e provocar grandes estragos. Ultrapassagens próximas a curvas e/ou em regiões serranas também são perigosas. Portanto, excesso de cuidado e atenção não faz mal a ninguém. Com expressão quase paternal, Jacob nos diz: "Pressa, não precisa ter nenhuma. Se tiver pressa, saia um dia antes".

Jacob nos lembra do quanto é importante estarmos atentos quanto a possibilidade de óleo na pista. Muitos caminhões acabam deixando um longo rastro de óleo estrada afora "e isto meu camarada, pode ser motivo de sua infelicidade!", completa Marco.

Ventos laterais, chuva, bagagens mal distribuídas, ultrapassagens forçadas, excesso de velocidades etc, devem ser estudados e analisados previamente por todos nós, antes mesmo de sairmos acelerando por aí. Viajar é muito bom, mas o motociclista precisa lembrar que sua segurança é ativa. Devemos estar atentos a tudo, e em todo o tempo.

Durante nossa conversa, Jacob faz uma observação interessante: "Motoristas carreteiros geralmente são cordiais. mas é claro que sempre há algumas exceções. Se você observar um caminhão em alta velocidade, ultrapassando em local proibido e até ziguezagueando pela pista, saia fora dele! Risco grave e eminente!".

Fechando nossa conversa, Marco Antônio Jacob em tom quase filosófico nos diz: "Ando sempre sobre vinte e duas rodas (se referindo a carreta), mas preciso apenas de duas para ser feliz". Uma salva de palmas para ele galera! (risos).

Um grande abraço a todos, fiquem na paz e boas estradas!


Veja mais InteRior

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Jornal Tribuna de Petrópolis.