Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Peça “Fábrica de Chocolate” mostra centro de tortura durante a ditadura

12/09/2017
Compartilhar:
Foto divulgação

Quando o operário de uma fábrica de chocolate morre durante uma sessão de tortura, os agentes da Ditadura precisam simular que o homem se suicidou. Os personagens são funcionários do Destacamento de Operações de Informação – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-CODI) e são encarregados de interrogar e “resolver os caminhos” dos investigados. O fato inicia a história narrada do espetáculo “Fábrica de Chocolate” que será apresentado no Theatro D. Pedro, em 28 de setembro às 20h, em mais uma ação do SESI Cultural em Petrópolis.


O espetáculo mostra por dentro dos porões da tortura, em diabólica rotina, o aparelho policial-militar encarregado de anular qualquer cidadão suspeito de incompatibilidade ativa com o regime vigente e aborda o momento histórico da Ditadura com foco na ação dos torturadores, propondo uma reflexão sobre um momento histórico fundamental e sua relação com o tempo atual. O texto de Mário Prata foi escrito logo após a morte do jornalista Vladmir Herzog.

Um retrato do brasileiro que tortura o seu semelhante como alguém que tem família, que se confunde com a multidão na rua e que gosta de futebol. Enfim, um homem comum. São mostrados diversos escalões do governo repressivo, do carcereiro torturador às patentes superiores, com diálogos dinâmicos, mordazes e inteligentes. Uma montagem que recebeu elogios de grandes críticos como Barbara Heliodora (O Globo), Tânia Brandão (O Globo) e Rodrigo Monteiro (APTR).

Mário Prata conquistou reconhecimento como romancista, roteirista e autor de novelas e teatro. Com textos irreverentes, cômicos e inteligentes, ele teve seus livros na lista de dez mais vendidos, chegando a liderá-la por seis vezes, e já recebeu 18 prêmios nacionais e estrangeiros. A direção é de Luiz Furlanetto e o elenco conta com Adriana Torres, André Cursino, Daniel Villas, Diogo Pivari, Henrique Manoel Pinho e Ricardo Damasceno.

Os ingressos estão à venda na bilheteria do Theatro D. Pedro (aberta das 14h às 20h) e custam R$ 22 (inteira) e R$ 11 (meia). Pessoas com mais de 60 anos, estudantes, deficientes físicos e associados ao SESI pagam meia-entrada.