Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Rodoviários conseguem reajuste salarial de 7%, após greve

Por: Janaina do Carmo
17/05/2017
Compartilhar:
Marco Oddone / Tribuna de Petrópolis

Após 24 horas de paralisação do transporte público, os rodoviários voltaram ao trabalho por volta das 6h da manhã de hoje (17). A categoria aceitou a contraproposta do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro) de reajuste salarial de 7% retroativo a data base de março e R$ 200 de cesta básica. A proposta foi aceita durante assembleia realizada às 3h da madrugada na sede do sindicato dos rodoviários. 

Durante a manhã algumas linhas de ônibus ainda não estavam circulando e alguns horários não estavam sendo cumpridos. No início da tarde, o Setranspetro confirmou que a operação estava normalizada.

"Foi uma vitória para a nossa categoria. Saímos de uma proposta de 4% e conseguimos um aumento de 7% nos salários", comemorou um rodoviário. A greve teve início a zero hora da última terça-feira (15) após os trabalhadores rejeitarem a contra-proposta do Setranspetro de 5% de reajuste. Mesmo sem apoio do sindicato que representa a classe, os rodoviários se mobilizaram e paralisaram os serviços com piquetes nas garagens das empresas e no Terminal do Centro, onde os trabalhadores se concentraram durante toda a greve.

Alguns ônibus tiveram os pneus esvaziados e outros foram parados durante o trajeto. No Terminal do Centro, os veículos que chegavam eram impedidos de sair. A greve afetou diretamente 80 mil usuários e alguns serviços foram prejudicados devido a falta de funcionários. O carro foi a opção para muitos pessoas chegarem ao trabalho, com isso a volta para casa na terça-feira foi um caos. As principais ruas do Centro estavam congestionados com a quantidade de veículos.

"Desde o início da paralisação estávamos esperando um representante das empresas para negociar. À noite conseguimos montar uma comissão e ser recebidos para uma reunião", disse outro rodoviário. O encontro com os representantes da Setranspetro na sede da entidade começou por volta das 19h30 e durou quatro horas. A proposta foi então levada para assembleia da categoria.

A luta pelo reajuste dos rodoviários começou em março (início da data base) quando eles pediram 11%. O pedido foi encaminhada para o Setranspetro que não se apresentou nenhuma contra-proposta, alegando que qualquer reajuste salarial só poderia ser concedido após um aumento na tarifa de ônibus. Dois meses após o início da data base, o prefeito Bernardo Rossi autorizou uma nova passagem no transporte coletivo, passando de R$ 3,50 para R$ 3,90 no pagamento em dinheiro e R$ 3,80 para quem usa o cartão RioCard.

A tarifa aumentou no dia nove deste mês, quando a Setranspetro apresentou a primeira contra-proposta de 4%. Em assembleia, a categoria não aceitou o percentual e propôs 8%. Em uma nova negociação na última semana, o sindicato das empresas negou o pedido de 8% e contrapôs um aumento de 5%. Sem que houvesse um acordo os trabalhadores anunciaram a greve para a zero hora da terça-feira.

Veja as fotos do dia da greve