Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Nova etapa da campanha de vacinação antirrábica acontece neste sábado

17/10/2017
Compartilhar:
Foto: Reprodução Internet

Iniciando a 6ª fase da campanha de vacinação antirrábica, os moradores do Centro, Alto da Serra, Caxambu, Retiro, Quitandinha, Valparaíso, Cascatinha e adjacências deverão levar os cães e gatos para serem vacinados neste sábado (21.10). A imunização ocorrerá em horários alternados, entre 9 e 17h, em 17 pontos de vacinação, sendo 12 escolas e uma ação volante pela região. A expectativa da Secretaria de Saúde é que 8.390 animais domésticos destes locais estejam protegidos contra a doença por um ano.

Faltando apenas mais uma etapa para encerrar a campanha de vacinação que ocorre em novembro, o município tem 25 mil animais domésticos já imunizados. Seguindo um cronograma iniciado no ano passado, a campanha de vacinação foi dividida seguindo o mesmo período para que os animais fossem imunizados na mesma época.  A Coordenação de Vigilância Ambiental também promoveu capacitação às equipes fornecendo as orientações a serem adotadas durante a campanha, como por exemplo, não vacinar animais doentes ou debilitados.

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explica que a raiva é uma doença grave de origem viral transmitida, em geral, por mordidas de animais infectados, arranhões ou mesmo lambidas. Em Petrópolis não há casos registrados de raiva em animais domésticos há mais de 30 anos.  

“Para manter a doença afastada do município, precisamos conscientizar a população que imunizem os seus animais de estimação. O período de vacinação vai até novembro então, se a pessoa não conseguiu acompanhar o cronograma no seu bairro, ela pode procurar esses postos para que eles recebam as doses. O importante é que todos os cães e gatos sejam vacinados contra raiva que é uma doença que pode ser transmitida para pessoas e levar a morte”, alerta o Secretário de Saúde, Silmar Fortes.

A coordenadora da Vigilância Ambiental, Maria Beatriz Fagundes Pellegrini, explica que a vacina não apresenta contraindicação e reforça que todos os animais que estejam em plena condição de saúde serão imunizados. “Nós só não iremos fazer a imunização caso eles estejam debilitados ou doentes como, por exemplo, com diarreia ou vômitos. Para a vacina do animal não é preciso levar o comprovante anterior, basta apresentar um documento de identidade do dono do animal”.

O transporte dos animais deverá ser realizado com coleiras ou caixas de transportes. Os que tiverem histórico de agressividade precisam estar utilizando uma focinheira. 

“O animal deve ter, no mínimo, mais de três meses de vida e estar em perfeitas condições de saúde. Nós só não iremos realizar a imunização em animais que estejam debilitados ou doentes como, por exemplo, com diarreia ou vômitos”, explica Maria Beatriz Fagundes Pellegrini que sinalizou a importância de adultos serem os responsáveis pela contenção do animal para a vacinação: “Crianças não devem conduzir o animal para vacinação, pois pode ocorrer um acidente. Os animais que estiverem amamentando ou grávidas podem ser vacinadas, no entanto elas precisam ser conduzidas para vacinação com conforto e tranquilidade”, ressalta Maria Beatriz Fagundes Pellegrini