Tribuna de Petrópolis

Texto A - A A +

Três disputam a presidência da Câmara

Por: Rogerio Tosta
14/11/2016
Compartilhar:
Jornalista Rogerio Tosta

Com o anúncio de que o vereador Paulo Igor será o secretário de Governo de Bernardo Rossi, a disputa pela presidência da Câmara já começou com apresentação de alguns nomes. É importante ter claro que, antes de assumir como secretário, Paulo Igor toma posse como vereador, influencia a eleição para presidente do legislativo e depois pede licença para assumir o cargo de secretário.

A primeira que divulgou publicamente seu interesse em ser presidente da Câmara foi a vereadora Gilda Beatriz. Se não conta com o apoio da maioria dos seus pares, conta com apoio de muitos petropolitanos que estão enviando mensagens encorajando-a na disputa pela presidência.

Alguns chegam a afirmar que seria o primeiro passo para, na eleição de 2020, ser candidata a prefeita. Pessoas que trabalharam na sua campanha para reeleição já se anteciparam e consultaram alguns partidos se dariam espaço para Gilda Beatriz ser candidata a deputada federal e no futuro ser a candidata a prefeita. A vereadora me afirmou que não tem interesse em sair do PMDB e que vai buscar os espaços para futuras candidaturas no seu partido, rejeitando, pelo menos neste momento uma mudança de partido.

Única mulher reeleita para Câmara, entre as únicas quatro vereadoras da história da Câmara Municipal, Gilda Beatriz foi a mais votada na cidade e isto a credenciou a lutar pela presidência da Mesa Diretora. Depois de anunciar publicamente, agora a vereadora vai buscar o apoio do prefeito eleito, deputado estadual Bernardo Rossi e também de Paulo Igor.

Outro nome na disputada é o vereador Roni Medeiros. Reeleito pelo PTB, o vereador me disse que vai disputar e acredita na sua eleição e já está trabalhando. Sobre a indicação dele para assumir a presidência da Comdep, o vereador me disse que não foi consultado e que seu interesse é continuar na Câmara. Ele também vai buscar o apoio do prefeito eleito e conta nos bastidores trabalhando pela sua eleição para presidir a Mesa Diretora, o seu irmão Ronaldo Medeiros.

Vale lembrar que Ronaldo adiou o seu sonho de ser prefeito de Petrópolis, ao desistir de concorrer e declarou apoio ao deputado Bernardo Rossi. Não há confirmação e ninguém fala sobre o assunto, mas a presidência da Câmara para o seu irmão teria sido um dos pontos da negociação para Ronaldo desistir da candidatura. No entanto, em conversa com ele, a afirmação é que a desistência foi causada pela falta de apoio político e por entendimento da sua família, que aceitava sua decisão de ser candidato a prefeito, mas gostariam de que ele não fosse. Esta é a afirmação oficial.

Outro nome é do vereador eleito Dudu, que volta à Câmara Municipal e que segundo comentários estaria trabalhando para ser eleito presidente. Dudu até o momento não fez nenhum comentário público, diga-se a verdade, o ex-vereador está sumido, por isso fica difícil afirmar se ele é ou não candidato. O certo é que o seu nome é apresentado entre aqueles que vão disputar a presidência da Câmara.

Mas, como me informou um vereador quando comecei a acompanhar o legislativo municipal há 20 anos atrás, todos os vereadores que tomarem posse podem colocar seu nome como candidato a presidente da Câmara e o histórico do legislativo municipal, mostra que candidatos tidos como eleitos foram substituídos na última hora por outro nome, momentos antes da votação.

Independentemente de quem for o presidente da Câmara, o certo é que o prefeito eleito, Bernardo Rossi terá a maioria dos vereadores e uma oposição enfraquecida.

Veja mais no blog : www.rogeriotosta.com


Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Jornal Tribuna de Petrópolis